quarta-feira, 26 de dezembro de 2007

Estradas Portuguesas, Mon chérri, e árvores velocistas

Não, não consegui arranjar uma maneira de ver televisão de olhos fechados, agora vim para falar sobre as estradas portuguesas.

Milhares de pessoas morrem todos os anos nas estradas portuguesas, excesso de velocidade, álcool, conduzir e falar ao telomovel, enfim muitas desculpas muitas mortes. Ainda ontem (dia de Natal) foi encontrado um indivíduo a conduzir e a beber álcool e claro foi multado, mas isto é pura incompreensão, pois cá para mim o sujeito estava a comer mon chérri, só que era alérgico ao chocolate e não gosta de comer cerejas nesta altura do ano...E os polícias hoje em dia não reparam nestas coisas. E também há aqueles que em plena recta começam a ver uma árvore em direcção a eles e morrem 4 pessoas por causa de uma árvore Obikwelu.

Deixo uma palavra de solidariedade com as famílias e o aviso para que da próxima vez tenham mais cuidado e não plantem árvores velocistas ainda para mais com pontaria.

Fiquem Bem

2 comentários:

Dr. Bruno Duarte disse...

Infelizmente, este é um drama que aumenta a cada ano que passa. Na minha opinião, a mutação genética deste tipo de seres deveria seguir um certo tipo de regras. Apenas deveriam ser produzidas sementes de plantas com genes de outros seres perfeitos, tal como eu!, até porque não queremos andar na rua e ver que todas as árvores da nossa rua têm dentes grandes e separados não?

Drª Angela Sofia se faz favor disse...

Se juntássemos os genes do Bruno Duarte com os meus davam então origem ao ser mais que perfeito, em vez de uma árvore Obi não sei quantas tinhamos árvores giras, estéricas e dançarinas...era de gritooos (=

Diogo, és um cromo - -'
Mas sabes...eu até que gosto de ti